Reblochon: o queijo francês nascido da evasão fiscal

Charlotte D.
June 13, 2021
O reblochon é um queijo francês macio feito na região alpina de Savoie com leite de vaca cru. É, sem dúvida, um dos queijos franceses mais famosos. É comumente usado para cozinhar na França e é um ingrediente chave para vários pratos, como a popular Tartiflette; um gratinado da Savoie feito de batata, bacon e cebola. No entanto, poucas pessoas conhecem a história por trás da origem deste queijo. Na verdade, o reblochon nasceu como resultado de uma forma antiga de evasão fiscal na Idade Média.

A história começa no século XIII, nas pastagens alpinas dos vales de Thônes, localizadas no departamento de Haute-Savoie. Nesse tempo, os fazendeiros que trabalhavam nesta região tinham que pagar, cada ano, “le droit d’ociège”. Era um imposto específico cobrado pelos senhores feudais, que muitas vezes eram nobres e membros do clero. “Le droit d’ociège” era baseado no número de jarros de leite produzidos em um dia pelo gado dos fazendeiros. Disto seria deduzida a quantidade de manteiga e queijo que os fazendeiros teriam que entregar aos senhores feudais. De fato, era comum usar o queijo como moeda durante a Idade Média.

É claro que os fazendeiros não gostavam de dar o produto de seu trabalho árduo aos senhores feudais. É por isso que eles logo descobriram uma maneira de diminuir a quantidade que teriam para doar. Para isso, diminuiriam a quantidade de leite, já que a quantidade de impostos era medida de acordo com a quantidade de leite, menos leite nos baldes significava menos impostos. Diante do inspetor, faziam uma primeira ordenha apenas parcial e, assim que ele ia embora, procediam a uma segunda e última ordenha, esta última sendo mais cremosa, ideal para fazer queijo. Essa segunda ordenha deu à luz ao reblochon, cujo nome vem de “rebloche”, que significa “ordenhar a vaca uma segunda vez” no dialeto de Savoie.

A história do reblochon é inspiradora na forma como nos mostra que já no século XIII, as pessoas já estavam se organizando de alguma forma para defender sua propriedade legítima e liberdade daqueles que tentavam violá-las. Em nossas sociedades atuais, as violações da liberdade pessoal e da propriedade privada persistem e continuam crescendo, razão pela qual, assim como esses fazendeiros, também devemos fazer o que estiver ao nosso alcance para defender nossa propriedade e nossa liberdade. O resultado dessa liberdade será um número crescente de inovações e novos produtos que aqueles que tributam não poderiam apresentar e que agradarão às massas, assim como o reblochon.