Demolition Man: Ficção Científica Distópica ou Realidade

Charlotte D.
June 30, 2021
“Demolition Man” é um filme de ação e de ficção científica americano lançado em 1993. O enredo gira em torno do ex-policial John Spartan que descobre, em vez da Los Angeles que conhecia, a utopia de San Angeles e encontra um regime autoritário anti-liberdade, proibitivo e controlador.

A história começa em 1996, apresentando o personagem principal da história, o sargento do LAPD John Spartan; chamado de ‘demolidor’ por causa dos grandes danos colaterais que ele costuma causar durante suas prisões. Spartan está prestes a capturar Simon Phoenix, um perigoso criminoso. Mas Phoenix engana Spartan, fazendo parecer que Spartan é o responsável pela morte de reféns. Consequentemente, ambos são condenados a longas sentenças na nova “Crio-Penitenciária” da cidade, uma prisão na qual os condenados são congelados criogenicamente e expostos às técnicas de reabilitação subliminares.

36 anos depois, Los Angeles agora é San Angeles; uma megalópole formada a partir da fusão de Los Angeles, San Diego e Santa Bárbara. San Angeles é apresentada como uma cidade pacífica onde o crime foi erradicado graças ao seu novo regime e ao Dr. Cocteau; seu líder. No entanto, as aparências enganam.

Quando Phoenix consegue escapar como resultado de um suposto engano, a única solução que o novo e consideravelmente mais fraco departamento de polícia é capaz de encontrar para um indivíduo tão perigoso é também libertar Spartan, “Um policial da velha escola para um criminoso da velha escola”. Juntando-se a Lenina Huxley, uma policial desse novo departamento, Spartan começa a caçar Phoenix novamente. Ao fazer isso, ele percebe que o regime está longe de ser perfeito, pelo contrário, está repleto de políticas liberticidas que visam o controle total das ações e mentes das pessoas. Os próximos pontos discutirão mais detalhadamente as características reais desse regime autoritário, que na verdade estão cada vez mais presentes em nossas sociedades atuais.

Referências Históricas e Culturais

Não é mera coincidência ter escolhido “Lenina Huxley” como nome de uma das personagens principais da história. Na verdade, há uma referência histórica clara a Vladimir Lenin, e do outro a Aldous Huxley, autor do romance distópico “Admirável Mundo Novo”. A referência a Lenin pretende apontar que a sociedade de San Angeles é um ideal socialista, assim como a URSS era. Sobre “Admirável Mundo Novo”, muitas semelhanças podem ser encontradas entre o romance e o filme. Ambas as sociedades são governadas por um único indivíduo no topo que decide tudo e molda a sociedade de acordo com seus ideais de maneira opressora. Ambas as sociedades têm obsessão por saúde e bebês feitos em laboratórios. Em ambas as sociedades, os indivíduos pró-liberdade que condenam o regime estão completamente excluídos da sociedade e vivem de forma primitiva.

Censura e Sistema de Crédito

Uma das primeiras coisas que Spartan encontra em San Angeles é a censura severa. Na verdade, um “estatuto de moralidade verbal” foi implementado pelo governo e, como consequência, existem máquinas, em todos os espaços públicos, que detectam sempre que alguém diz “palavrões” e os multam por isso.

É bastante semelhante às políticas de “discurso de ódio” que nossos próprios governos têm implementado nos últimos anos, que causam uma grande censura nas redes sociais.

O fato de as pessoas serem multadas em unidades de crédito pelas máquinas revela que essa sociedade é baseada em um sistema de crédito social. O governo tem controle total do sistema monetário e é uma ferramenta que permite colocar ainda mais pressão sobre as pessoas para que sigam as “regras”.

Esse sistema não é mais fictício como foi, por exemplo, implementado pelo PCC na China. Indivíduos que não cumprem as políticas governamentais podem simplesmente ser banidos da sociedade ou de certas áreas dela, sendo impedidos de comprar, vender ou trocar.

Proibição e doutrinação

Depois de ser libertado da crio-penitenciária, Spartan pede um cigarro e Lenina Huxley diz a ele que “Tudo o que não é bom para você é ilegal”, que inclui: cigarros, álcool, carne, armas, gasolina ou ter filhos sem licença. As pessoas são basicamente infantilizadas, elas não podem mais escolher por si mesmas, os especialistas do governo o fazem.

Certamente é algo que vimos acontecer no ocidente há algumas décadas. Armas já são proibidas em muitos países, e cada vez mais restrições estão sendo implementadas pelo governo sobre cigarros e álcool, por exemplo, ambos prestes a serem banidos também. Com relação à carne, as agendas veganas e de mudança climática causadas pelo homem estão sendo pressionadas mais do que nunca, seus ativistas sugerindo que a carne deveria ser banida para proteção animal e uma mudança climática supostamente provocada pelo homem.

O contato físico também é restrito por causa dos riscos à saúde relacionados aos germes e ao risco de doenças sexualmente transmissíveis. Portanto, gestos como apertos de mão e beijos são proibidos. Os atos sexuais também são proibidos e foram substituídos por sexo em realidade virtual. As crianças são, portanto, todas feitas por meio da procriação em laboratório.

Essas restrições de contato físico do governo são estranhamente semelhantes às políticas de distanciamento social da Covid que os governos vêm impondo em todo o mundo desde o início de 2020.

A maioria dessas pessoas que vivem em constante doutrinação não percebe nada de errado, pelo contrário. Dr. Cocteau, o “líder supremo” de San Angeles é visto como o salvador que criou um ambiente pacífico, incomparável com o caos e a brutalidade que existiam na área antes do regime. O controle que Cocteau tem sobre as mentes das pessoas é tão forte que as pessoas não questionam sua autoridade e simplesmente obedecem, assim como robôs que são programados. Isso é realmente enfatizado pelo fato de que as pessoas respondem “informação assimilada” assim que ouvem algo. As pessoas se tornaram tão fracas que nem mesmo o departamento de polícia sabe como resolver um assassinato ou lidar com a violência. Perseguir pessoas por motivos tolos, como quebrar o toque de recolher e violações de “linguagem imprópria”, os enfraqueceu, e é por isso que eles precisam da ajuda de Spartan, embora ele seja o arquétipo da masculinidade tóxica que eles desprezam.

Essa é outra característica que pode ser encontrada cada vez mais em nossas sociedades modernas, a maioria das pessoas tende a simplesmente obedecer e cumprir tudo o que o governo diz, porque o governo é a autoridade, por mais injustas e criminosas que sejam suas políticas.

Poder e Controle

No final das contas, trata-se de Cocteau aumentar seu próprio poder e controle sobre a população de San Angeles, assim como acontece com os políticos de cada um de nossos governos.

Mesmo que as pessoas ainda possam ir ao restaurante, a sociedade não tem um mercado livre, mas algum tipo de corporativismo fascista onde apenas uma rede de restaurantes; “Taco Bell” permaneceu e está sob o controle do governo.

Esta ganância por poder e controle também é visível em políticas como a inserção de microchips nas mãos das pessoas para rastreá-las a qualquer momento, e na forma como Cocteau caça dissidentes que se opõem ao seu regime e, portanto, colocam seu poder em risco.

Na verdade, é mais tarde revelado que foi ele quem libertou Simon Phoenix para matar Edgar Friendly, o líder de uma rebelião pela liberdade.

Edgar Friendly e seus seguidores, embora vivam em condições precárias, gozam de mais liberdade do que as pessoas sob o regime de Cocteau. Por exemplo, eles podem fazer hambúrgueres para si próprios se quiserem, embora sejam feitos de carne de rato. A parte mais inspiradora do filme é provavelmente o monólogo de Friendly em que ele defende a liberdade de expressão e de escolha.

“De acordo com o plano de Cocteau, eu sou o inimigo porque gosto de pensar, de ler, eu apoio a liberdade de expressão e de escolha. Eu sou o tipo de cara que gosta de sentar em uma lanchonete e se perguntar: deveria comer bife ou costelas grelhadas com batata frita? […] Lá em cima, você vive do jeito de Cocteau. O que ele quer, quando ele quer, como ele quer.”

Este filme, nos anos 90, previu com precisão como seria o futuro da sociedade 30 anos depois com o avanço da agenda socialista. Uma distopia se transformou em realidade. No entanto, como mostra o final do filme, embora existam indivíduos dispostos a defender a liberdade, ainda há esperança de uma sociedade livre.

“Demolition Man” está atualmente disponível para assistir na Netflix, bem como para comprar ou alugar na Amazon Prime.